Bem-vindo à FAAN

Seja bem-vindo ao portal da Fundação Dr. António Agostinho Neto, nosso objectivo é promover a pesquisa e divulgação da vida e da obra do Dr. António Agostinho Neto; Promover actividades para melhorar o bem-estar e a condição dos angolanos; A promoção da educação, da ciência, da tecnologia e da cultura, para incentivar a criação e a inovação, de todo o tipo e sob todas as formas, e a investigação científica e tecnológica.

axta2.png - 152.86 Kb

A Fundação Dr. António Agostinho Neto inclina-se perante a memória do Presidente Mário Soares, co-fundador do Partido Socialista Português, ocorrido no dia 7 de Janeiro de 2017, por motivo de doença e recorda o percurso de combatente pela liberdade, contra a ditadura fascista do Estado Novo.

No Movimento de Unidade Democrática – MUD Juvenil integrou a primeira Comissão Central com Agostinho Neto, então estudante em Portugal e também militante antifascista, ambos envolvidos e apoiando a campanha do General Humberto Delgado. Agostinho Neto e Mário Soares reencontraram-se após o 25 de Abril para tratar da descolonização de Angola.

Nesta hora de consternação e luto, a Fundação endereça os sentimentos de pesar à família enlutada, ao Partido Socialista Português, à Fundação Mário Soares e ao Povo Português.

FUNDAÇÃO DR. ANTÓNIO AGOSTINHO NETO, Luanda, 9 de Janeiro de 2017

(Seguido do Conto a Formação de uma Estrela)

(COMUNICAÇÃO APRESENTADA À VI CONFERÊNCIA DOS ESCRITORES AFRO-ASIATICOS-LUANDA/ JUNHO 1979)


Por Eugénia Neto

axta3.jpg - 39.84 Kbaxta1.jpg - 36.65 Kb

Esta pergunta vem sendo feita já há alguns anos por todos os que se interessam pelos problemas da infância. Houve quem, em determinado momento, dissesse redondamente que não se devia. Outros exitaram e não se definiram. No entanto, a corrente levava mais a dizer não, do que sim.

Uma das razões que apresentavam, era de que, na sociedade nova que se queria construir, não haveria lugar para as quimeras da sociedade de consumo.

Que ideia essa de se falar de príncipes e de fadas, quando no mundo se contam pelos dedos os reis velhos e se quer criar novas noções, de beleza, equidade e aspiração?

auda8.jpg - 27.10 Kb 

No passado mês de Julho de 2016, foi publicada, pela “Edições Nova Vega, Lda.”, sediada em Lisboa, uma obra, em dois volumes, da autoria de Carlos Pacheco, intitulada “Agostinho Neto, O perfil de um ditador. A História do MPLA em carne viva”.

O autor pretendeu, segundo a sua concepção, escrever uma “biografia” daquele que foi o Presidente do MPLA (1962 - 1979) e o primeiro Presidente da República do nosso país (1975-1979) e, muito justamente, considerado o fundador da Pátria.

Após leitura da referida obra, a Fundação reagiu em comunicado àquilo que considera ser um verdadeiro assassinato da memória do Dr. António Agostinho Neto. Nesse sentido, informamos que os nossos Advogados, no dia 22.11.2016, apresentaram queixa-crime contra o autor no Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, imputando-lhe a prática de um crime de “ofensa à memória de pessoa falecida agravado”, previsto e punido pelo art. 185.º do Código Penal português.

Prémio de Investigação

 Logo Prémio de Investigação Histórica

Jovens Escritores

REDES SOCIAIS

SUBSCREVER NEWSLETTER

Nome:
Email: